terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Auto-estima e a crise da balança - Parte I

Olá Pinkers!!!!

É um imenso prazer participar deste blog descoladíssimo, atualizado, e claro, Nerd sem perder o estilo Pink de ser!! =D

No meu primeiro post, quero conversar com vocês algo que invariavelmente já passou pela cabeça de todas: “Estou acima do peso”. Sim, sim, essa é uma afirmação que nossa boca ou nosso coração já pronunciou para nossa alma uma vez na vida, no mínimo. Algumas pessoas pensam nisso vááárias vezes por dia.




Mas, não é preciso se desesperar. Hoje temos muitas maneiras de gostar de nós mesmas, sem ceder à ditadura da magreza. Vejam, este post não quer tratar sobre como se encaixar nos padrões esperados pela mídia da moda e beleza, ok? O que venho propor aqui é como lidar com nosso corpo (do jeito que ele é), sem perder o amor próprio e o prazer de apreciar comidinhas deliciosas que enchem nossa boca d’água.
Antes de mais nada, vamos entender o que significa auto-estima.

A auto-estima, ou o “auto-respeito positivo”, refere-se ao valor e qualidades que atribuímos a  nós mesmos, ao conceito que temos sobre nossas limitações e potencialidades. É a disposição para se perceber competente em lidar com as dificuldades básicas da vida. Auto-estima, então, não é apenas “gostar” de si mesma.

Gostar de si mesma é apenas o início da prática de uma série de características de uma mulher com ALTA auto-estima. Vamos ver algumas delas.

Uma mulher com ALTA auto-estima:
ü  Assume a responsabilidade por suas ações;
ü  É afirmativa sem agressividade;
ü  É objetiva em suas opiniões;
ü  Aceita-se pelo que é;
ü  Aprende a amar;
ü  Encara a realidade como ela é;
ü  Adapta-se e ajusta-se às mudanças;
ü  Controla suas preocupações e seus medos;
ü  Doa-se a si mesma;
ü  Considera os outros;
ü  Controla sua hostilidade.

Estas são apenas algumas atitudes que alguém com ALTA auto-estima possue e pratica. Mas isso não é tudo, são apenas exemplos.

Portanto, se você sente-se bem com os seus valores de vida, seus princípios, com aquilo em que você acredita, você não pode se considerar alguém com BAIXA auto-estima.

A auto-estima é mais do que gostar de si mesma, no sentido em que você se orgulha de algo que realiza, que sabe identificar seus melhores potenciais e faz bom uso deles. Quando você consegue dar um ombro à alguém que precisa e fica feliz por poder ajudar essa pessoa que estava precisando. Ao constatar que você fez um bom trabalho, seja em casa, profissionalmente ou socialmente, você pode perceber que tem potencial e que você tem valor. Com isso, sua auto-estima vai estar sempre cuidada e num bom nível.



Ou seja, gostar de si mesma não significa só apreciar o que você vê quando se olha nua diante do espelho. Gostar de si mesma é gostar do que você é, por dentro e por fora, mesmo por que, o que você ve diante do espelho não é tudo o que você é, e sim, só o que as pessoas veem externamente de você.

Entretanto, vamos combinar que gostar de nós mesmas, e nos olhar no espelho e gostar do que vemos é muuuuuito melhor, certo?! Assim, sem ceder ao radicalismo exigido para chegar a medidas praticamente impossíveis de conseguir, vamos pensar em algumas atitudes e posturas que nos ajudariam a melhorar a aparência do nosso “corpitcho” e também melhorar a disposição e saúde.

Sim, saúde em primeiro lugar!! Acredito que podemos aliar auto-estima, bem estar e um corpo bacana com saúde. Penso que a maior aliada na ajuda para gostarmos de nosso corpo é a saúde. Podemos buscar um corpo bacana lutando para melhorar nossa saúde. Claro que tudo o que é demais faz mal, tanto comer demais, quanto comer pouco demais.

TODO O EXAGERO É PREJUDICIAL PARA NOSSA SAÚDE MENTAL E FÍSICA.




O que podemos fazer no dia-a-dia para mudar hábitos simples que vão nos fazer sentir mais dispostas, leves e saudáveis, e o que é melhor, na maioria dos casos, reduzirem alguns “kilinhos” extras?

Uma boa alimentação faz não só bem para o corpo, mas para a pele e a alma. Praticar uma atividade física reduz a preguiça maléfica, dá disposição até para levantar mais cedo e deixa o corpo mais leve e gostoso de carregar para cima e para baixo.

Pratique uma atividade física, seja na academia, uma caminhada, corrida, ou até mesmo economizar no elevador e usar a escada de vez em quando, esfregar uma roupinha delicada na mão, ao invés de usar o modo “delicadas” da máquina, fazer uma faxina pesada, dispensando a empregada de vez em quando. Ou seja, mesmo com o tempo reduzido, dá para arrumar atividades básicas para se mexer sem precisar gastar e também resolver as coisinhas que todos precisam no dia-a-dia.

Mas, e a comida? Sério, é uma tentação passar na frente do Amor aos Pedaços, não é Nika?  Dá aquela vontade louca de colocar qualquer ítem que tenha como base o cacau na boca e se alegrar da vida, certo?! Sim, o chocolate faz bem para a saúde, também, e nos dá alegria, assim como os carboidratos, que encontram-se nos pães, batatas, etc. Eles engordam? Engordam. Mas eles só engordam se ingeridos em quantidades grandes. Lembram do exagero ali em cima?!

Comer pouco faz bem. Comer pouco e devagar, mastigar bem os alimentos e degustar o sabor deles, ao invés de engolir tudo praticamente inteiro. Além de sobrecarregar o aparelho digestivo, comer rápido também ajuda a manter as gordurinhas ali, onde elas não são bem vindas.

Estamos percebendo que há maneiras de mudar os hábitos diários para uma alimentação correta, saudável e feliz, sem precisar cortar o chocolate que amamos ou aquele lanche suculento, cheio de maionese. Essas mudanças carregam apelos. Apelos mais corretos e saudáveis do que os apelos da “magreza a qualquer custo”. O apelo é: alimente-se bem, durma o suficiente, tenha uma boa saúde, seja feliz e encontre no espelho algo além de um corpo escultural. Encontre uma mulher completa, de corpo, alma, espírito e coração.

É natural, não tem erro. Bons hábitos alimentares, prática de atividade física gera uma boa saúde, boa auto-estima e um corpo legal, mesmo estando fora dos padrões de beleza impostos pela mídia. Um corpo que seja saudável é o melhor corpo que se poderia querer ter, mesmo que ele não seja o que o mundo lá fora diz ser o bonito.

Se tivermos bom-senso, força de vontade e criatividade, dá para ser feliz, comer tudo o que se tem vontade, ser saudável e ainda por cima, mandar pro espaço os pneuzinhos que nos incomodam. Desse jeito não terá BAIXA auto-estima que aguente e a ALTA auto-estima estará sempre estampada no nosso sorriso.



No meu próximo post, veremos quais alimentos são os melhores para nossa saúde, como comer de tudo sem culpa, sem engordar demais, etc. Estou tentando obter todos estes hábitos na minha vida, mas lembre-se nunca dispense a ajuda de um profissional qualificado para lhe orientar o que é melhor fazer para o seu bio-tipo.

Beijos e até o próximo!!

*Imagens retiradas do Google Images.

5 comentários:

  1. Fad´s,
    Adorei o post, ficou o máximo, principalmente a parte "Um corpo que seja saudável é o melhor corpo que se poderia querer ter, mesmo que ele não seja o que o mundo lá fora diz ser o bonito." Adorei essa frase e vou tentar adotar hábitos mais saudáveis.
    Beijocas

    ResponderExcluir
  2. Legal Bru!! Sim, adotar hábitos mais saudáveis parece um bicho de 7 cabeças, mas faz um bem que vc se pergunta porque não começou antes?

    No próximo, vem as dicas do que fazer para usar o que temos acesso e mudar os hábitos.

    ;D

    Bjosss!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Adorei o Post, Fad's! Ficou show!

    ResponderExcluir
  4. Adorei, Dani!Ainda mais que sou partidária do "eu me amo, eu me amo!"
    Acho que o que se pode concluir é: Ninguém me ama se eu não me amo, certo?

    ResponderExcluir
  5. Adorei o post!
    E coroado com a risada de Julia Roberts, melhor ainda. Sempre achei o sorriso dela um presente.

    ResponderExcluir

Falar você deve. Com você, o lado rosa da força estará.